O MEU CAMINHO A SANTIAGO (continuação)

Barcelos - Ponte de Lima
Março de 2008
Para alegria de todos chegámos a Barcelos sem chuva, à hora combinada e com um sorriso lindo e transparente a iluminar-nos o rosto. 
A surpresa foi grande quando vimos a nossa roda de peregrinos tornar-se numa roda “gigante”.
As caras novas eram muitas e depois do guia proferir algumas palavras de boas vindas, seguiu-se a tradicional oração e o grito ULTREYA e SUSEIA.
Iniciamos o caminho em direcção ao posto do Turismo e já o sol brilhava quando atravessamos a linda cidade. Senti naquele momento que ele nos iria acompanhar ao longo dos 33 km que teríamos de percorrer. 
Embrenhamo-nos pelo interior do vale do Neiva, enfeitado com campos verdes e amarelos e  salpicado com lindos limoeiros cobertos de frutos maduros.
A natureza brindou-nos ao longo deste percurso  com lindas paisagens coloridas e fez-me lembrar  lindas aguarelas pintadas por artistas mágicos e célebres. 
As  flores sorriam para nos saudar e uma peregrina não resistiu a colher duas, de cores fuschia e amarela, transformando-as em dois lindos e graciosos brincos que me colocou com um gesto carinhoso.
Fiquei tão feliz que, por momentos, deixei que a minha criança interior se manifestasse e não resisti ao chamamento da máquina fotográfica que num instante registou tão carinhoso acontecimento para mais tarde recordar.

Entrámos em Lijó pela ponte sobre o ribeiro de Pedrinho e depois das Capelas de S. Sebastião e da Santa Cruz, descansámos um pouco, refrescámo-nos, saboreámos as frutas que trazíamos nas mochilas e voltamos ao caminho pois, esse era longo e as paragens teriam de ser breves nesta etapa.
Andamos mais uns km, acabámos sempre por perder a noção do tempo e do espaço percorrido, bebemos água fresquinha na fonte da Ferreirinha e mais à frente esperava-nos a Capela da Senhora da Portela, construída no séc.XVII.
Estava nesta altura o grupo dividido; os mais afoitos iam já com algum avanço e nós um pouco mais atrás desejávamos por mais uma paragem.
Sem desistir andamos mais uns metros e não tardou o encontro com o nosso guia, junto da Igreja de Aborim, que nos esperava com um largo sorriso.
Uma rápida refeição e o merecido descanso.
Esticados ao comprido já estavam alguns peregrinos, deixando que os raios de sol brincassem com os seus cabelos.
Ninguém sentia a dureza das pedras, nem o sol quente do inicio da tarde.


O descanso foi pequeno!
Apressadamente arrumamos as sobras da merenda e de energia renovada atravessamos o Rio Neiva pela Ponte das Tábuas, formada por grandes lajes de granito que substituiu uma outra de tábuas do século XII.

Como o grupo era grande, as conversas foram-se desenrolando ora com este, ora com aquele, sentido que de etapa para etapa o grupo se ia tornando mais coeso, forte e alegre, tornando assim este caminho numa aprendizagem constante.
O silêncio também nos faz companhia e é nele que muitas vezes nos encontramos verdadeiramente.


Enquanto borboletas faziam a sua mágica aparição, num vai e vem constante, deliciando-me com as suas coreografias e cores multicolores, não pude deixar de observar as lindas flores silvestres que enfeitavam e enchiam de cor o caminho.
Como eram lindas!
Simples!
Singelas e coloridas!
Os meus olhos sorriam enquanto elas se abriam num lindo gesto de amor.
E como era bonita aquela solitária toranjeira, que com seus frutos gigantes e amarelos nos fez parar para melhor percebermos se eram toranjas ou outra coisa qualquer…  entre limoeiros e cameleiras pensei que era digna de ir para o Guiness.

Em Reborido, freguesia de Santo André do Vitorino de Piães, faltavam ainda 12 km para Ponte de Lima, conhecemos a D. Júlia da Silva Correia, como fez questão de nos dizer, que nos convidou a entrar no portão do seu modesto quintal e nos ofereceu todas as laranjas que as nossas mãos conseguiram colher e transportar.

Os frutos pequenos, mas tão sumarentos e saborosos, mataram, ali mesmo, a nossa sede e com sorrisos e palavras doces agradecemos tanta generosidade.
O rosto cansado e magro da D. Júlia iluminou-se com tantos agradecimentos e com o registo fotográfico do momento. Mesmo ali, prometemos-lhe um novo encontro, quem sabe na altura das festas do Santo Padroeiro.
No decorrer deste breve acontecimento meu coração sentiu por instantes o significado da solidão e como, com tão pouco, podemos assistir a uma verdadeira transformação de alguém que se sente feliz partilhando o pouco que  possui.
Foram momentos únicos os que ali vivi e quem sabe se D. Júlia não pensou ter vivido um pequenino milagre... mas, como diz Richard Bach no seu livro “ O Livro de Messias”
“… uma coisa boa nunca é um milagre, uma coisa maravilhosa nunca é um sonho”.
Caía o fim da tarde e faltavam ainda 3km para chegarmos ao nosso destino.
O corpo dava sinais de grande cansaço e olhando o rosto dos outros peregrinos senti que estávamos todos a passar pelo mesmo. Porém, a nossa fé foi aumentando em cada passo dado e, sem vacilar, continuamos a caminhar. O suave perfume da flor de madressilva, misturado com o canto dos pássaros que voavam à nossa volta ajudou-nos neste final de percurso e fez-nos esquecer tanto cansaço e dor nos pés.

Anoitecia quando entramos em Ponte de Lima pela Avenida dos Plátanos, junto ao rio.
As primeiras luzes ascendiam-se e ao fundo lá estava a Ponte, medieval e romana, sobre o rio Lima.


(Continua....)

28 comentários:

Mona Lisa disse...

Olá Canduxa

Uma experiência que adorava ter.

Bem...vou fazendo-a contigo.

Uma descrição soberba legendada por belas fotografias.

Bjs.

des-encantos disse...

pois é temos de falar e saber como ter 'sucesso' numa 'empreitada tão sedutora e dura...eu quero pró ano com amigos ir fazer isso Vou seguir este 'cantinho' com att.

AFRICA EM POESIA disse...

CANDUXA
Lindo este teu trabalho escrito e documentado


Vim deixar a noticia...

Sábado dia 19 De Fevereiro

Tenho apresentação do meu livro

Caminhei ...Caminhando
e a apresentação de Algumas telas...

a Apresentação Será às 15H 45 Minutos
na Casa Luso-Angolana

Associação Lusófona do Porto

PRAÇA DAS FLORES

Edifício Fontanário.

Porto

Conto contigo e leva amigas(os)


beijos

Tais Luso de Carvalho disse...

Olá, Canduxa, estava com saudades... Temos de nos dividir entre tantos seguidores! Este caminho de Santiago deve ser maravilhoso. Tenho um primo que vai fazê-lo pela 4ª vez. Mas eu faço aqui com você e através de outros blogs, também.

grande beijo, amiga.
tais luso

Lilá(s) disse...

Olá Canduxa
Acabei de ler um livro "Mistérios no caminho" de Berenice Koerig, filha de uma amiga brasileira. Ela relata exactamente o percurso a pé pa Santiago desde Saint-Jean_Pied-de-Port, em 1999, depois até 2004 trabalhou voluntariamente como hospitaleira em Estella, recebendo e orientado os caminhantes. Ao ler os teus textos além de ficar com apetite de experimentar pois só de carro fiz o percurso, revejo partes do livro, é lindo se poderes lê, irás gostar.
Volto para a continuação...
Beijinhos

Fernanda disse...

Canduxa, amiga!

As laranjas parecem ainda pouco maduras, pelo menos as da árvore :)

Deliciei-me com o texto. Senti-me integrada no grupo a caminho de Santiago.

Obrigada
Beijinhos

Multiolhares disse...

uma experiência e tanto, acredito que muito se aprenda nessas peregrinações, não só espiritualmente mas também humanamente
Bj

Mariazita disse...

Queriduxinha
A descrição do teu "Caminho" vai-se tornando cada vez mais atraente.
As fotos também estão óptimas.
Continuo ao teu lado.

Olha, meu anjo, ceramente não sabes, por isso te digo:

A «Casa da Mariquinhas» festeja hoje o seu 3º.aniversário e oferece um selinho aos seus visitantes.
Dás-me o prazer de ir buscá-lo?

Boa semana. Beijinhos

Saozita disse...

Querida amiguinha, que bela forma esta de escrever a tua peregrinação a Santiago, adorei e fiquei com a sensação de que estou integrada no grupo. É um desejo meu, e um dia farei esta peregrinação, por hora não posso, mas a vontade permanecerá.

Tem uma boa e feliz semana.

Beijinhos desta amiga, que muito te estima.

Sãozita

Lis disse...

Oi Canduxa
Viajar contigo por esse Caminho é maravilhoso.
Um prazer estar entre seus leitores e estou sempre ávida pra partilhar seus sentimentos de busca e reflexao.
Obrigada por partilhar e acolher-me.
abraços

Duarte disse...

... caminhos, ilusão, fé, extenuação... ao fim, gozo.
Sei que acabaste feliz, nota-se!
Os meus parabéns, pelo objectivo conseguido.

Beijinhos e a minha amizade

São disse...

Estou a ler na verticla.
Mas no fim , lerei tudo de seguida, para saborear melhor.

Um abraço grande.

Ana Martins disse...

Querida Canduxa,
senti todo o encanto dessa caminha!

Beijinho amigo,
Ana Martins

mfc disse...

Bem... apenas fantástico.

Liene disse...

A cada trecho descrito com tamanha sensibilidade só me faz acreditar que tudo isso que você passou e está passando marcará profundamente tua vida. Tudo o que já li sobre esse percurso é divinamente mágico!

Dias de luz para você, menina!

Beijos no seu coração

Deus seja contigo

Mona Lisa disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Gislene disse...

Canduxa,

Parabéns à nós mulheres pelo nosso dia, por tudo que somos, por tudo o que representamos, por tudo o que já conquistamos, por termos recebido o dom de dar a vida.
Parabéns à você minha querida!

Um forte abraço,
da amiga,

Gislene.

AFRICA EM POESIA disse...

Canduxa
SAUDADES---

Neste momento quero expressar aqui a minha solidariedade a todas as Famílias atingidas pelo tsunami .ONDA DEVASTADORA


Onda devastadora, cheia de beleza
Que rapidamente se transformou...
E destruiu tudo por onde passou...

Correu com loucura pela praia...
Saltou montes e vales...
Tudo levou e tudo varreu...

Onda sem compaixão...
Que entre os seus longos braços...
Tudo levou, pais, mães e filhos...

Sem piedade levou o amor da família...
Levou também o trabalho da terra...
E deixou, apenas a dor...

Dor de quem ficou e de quem tudo perdeu...
E tu onda devastadora...
Soltaste os teu braços...
E calmamente te foste!...

LILI LARANJO

Graça Pereira disse...

Um caminho que se faz...caminhando!
E a alegria das bênçãos e paz, como flores na berma da estrada que torna, sem dúvida, um mundo mais colorido.
Beijos
Graça

AFRICA EM POESIA disse...

NESTE DIA DO BLOGUEIRO E DA...POESIA...

é lindo quando andamos por aqui e sentimos a união e o gosto que sentimos por estarmos juntas.
Viva a PRIMAVERA
Viva A vida
Viva O Amor...

BEIJOS

AFRICA EM POESIA disse...

Um beijo de SAUDADES...

Ana Martins disse...

Canduxa,
passei para deixar um beijinho.

Beijinho,
Ana Martins

Manuel Luis disse...

Não só é uma caminhada fantástica como um excelente convívio. O caminho esta mais completo e ajuda-me a fazer planos.
Bj

Naty disse...

Que lindo seu blog... Só de ver as fotos e esse texto maravilhoso da um gostinho de quero ver o proximo capitulo desssa historia rsrsrs :)

alegria de viver disse...

Olá querida amiga

Vim desejar uma linda Páscoa.

Estou com saudades cadê você!

Com muito carinho BJS.

Gilmar Morais disse...

Canduxa,

É com muita alegria que passo por aqui para agradecer-lhe pela cumplicidade permitida, ao acompanhar o Caminhar & Ruminar, que ontem completou o seu primeiro ano de vida. Obrigado!

A festa é você, a sua presença e amizade que empresta sem reservas! Tenha certeza, significa muito!

Receba o meu fraternal abraço!

Manuel Luis disse...

DESEJO QUE CADA MÃE
QUE TENHAS A OPORTUNIDADE DE FESTEJAR O TEU DIA, COM SAÚDE, PAZ E AMOR!
A todas as Mães, a todas sem excepção, um Abraço e um Beijo cheios de simpatia e de ternura! E

Parabéns, mesmo que ninguém mais te felicite! E Obrigado, mesmo que ninguém mais te agradeça!
BEIJOS

Zé do Cão disse...

E o Resto?
Ainda não chegaram lá?

Beijos, amiguinha