AS MINHAS MÃOS

as minhas mãos

Volto a ser criança.
Minha mente está vazia,
ouço a voz do meu coração
chamando por mim.
A sabedoria vem chegando,
o espírito despertando.
Estou feliz!
As memórias vêm.
Olho as minhas mãos!
São de criança,
mexem na terra.
São mãos de jovem,
acariciam a minha mãe,
abraçam o Mundo,
aprendem a amar.
São mãos de mãe,
abraçam meus filhos,
embalam,
dão as mãos
em campos de girassóis.
Volto num instante.
Estou no presente…
Olho as minhas mãos.
Estão a envelhecer
mas são tão lindas!
Adoro vê-las abraçar,
plantar flores,
acariciar crianças,
escrever palavras
em forma de poesia.
São mãos que não param,
porque estão vivas,
aqui e agora!

MEMÓRIAS DE NATAL ....PORQUÊ NESTE NATAL?



Já vou mãezinha, estou só acabar a camisolinha do menino.
Está bem, não te demores que precisamos de fazer a lista das compras, respondeu com ar sorridente.
Aproveitava todos os momentos para acabar os inúmeros presentes que ainda tinha para este Natal.
Dei por mim a pensar que já nem estava tão preguiçosa para fazer aqueles trabalhos de lã, que a minha mãe me ensinara a fazer, e que por vezes me aborreciam tanto.
Estava demasiado feliz!
Ao fim de 4 longos anos, íamos estar de novo todos juntos no Natal.
Era a mais nova de 5 irmãos e a guerra do ultramar há já algum tempo que não permitia a alegria de passarmos um Natal todos juntos.
Apesar de já ter 21 anos parecia uma autêntica criança.
A sorrir, pensava que os meus sobrinhos mais pequeninos ainda acreditavam no Pai Natal e imaginava quem seria o escolhido para se fazer passar por ele.
O céu parecia ter mais estrelas quando, naqueles dias frios de Dezembro, abria a janela do quarto e olhava para o infinito.
Será que vai nevar?
Seria ouro sobre azul!
Os manos tinham saudades da neve e os meninos ainda não a conheciam.
As árvores ficariam lindas e o jardim, que se podia ver da janela da minha casa, cobria-se com um manto branco que ninguém ousava pisar. 
Ah... e que lindas aquelas flores que deixavam à mostra um pouco da sua cor!
Fechava os olhos e imaginava os pezinhos pequeninos dos mais novos enterrados na neve e a voz da minha a mãe a chamar por mim:
Vê se tens juízo, olha que os meninos podem-se constipar.
Ah, a minha cabeça não parava de sonhar, tudo me parecia tão real!
Os preparativos começaram logo no início de Dezembro e nada podia falhar, ouvia o meu pai dizer ao jantar.
Uma noite foi destinada para ele partir o bacalhau às postas. Não dava para acreditar a perfeição com que fazia tal trabalho...pareciam cortadas à régua de tão simétricas que ficavam.
Nunca consegui cortar um bacalhau assim!
Na Serra das Meadas, apanhei musgo verdinho salpicado de bolinhas de azevinho para o presépio.
Essa tarefa coube-me a mim e foi mais uma noite a desembrulhar aquelas adoráveis figurinhas de barro, pintadas à mão, que com carinho lá ia colocando em cima do musgo que cheirava a eucaliptos e pinheiros. Até consegui fazer a simulação de um rio e colocar os carneirinhos a beber água....lembro-me de ficar ali a usufruir daquela pequena maravilha...tudo tão simples e tão mágico!
O menino Jesus era único! Não só por ser de marfim, mas também pelo seu tamanho. Pequenino de tal maneira, que mais parecia uma estrelinha a brilhar em noite sem lua.
Pensava sempre nessa altura quem teria sido o autor de tal obra. Nunca vim a saber!
Montei também a árvore, a um canto do presépio, e enfeitei-a com figurinhas de chocolate em formato de pinhas, sininhos, pais natais e bolinhas.
As fitas coloridas e brilhantes, anjinhos de cartão, pintadinhos às cores, e alguns embrulhinhos que faziam lembrar prendinhas, tornavam a árvore mágica... e eu sorria feliz a olhar mais uma tarefa concluída.

Uma noite o meu pai trouxe confeitos às cores, que foram distribuídos por saquinhos de pano todas iguais. Na noite de Natal era costume cada um ter o seu saquinho para poder jogar o jogo do rapa....tira, põe e deixa. Este jogo era uma tradição antiga, que quando éramos mais pequenos, nunca faltava nos nossos Natais.
Este ano vão ser  para os mais pequenos, dizia o meu pai com os olhos a brilhar.
À medida que os dias passavam mais a saudade apertava e não via o dia 24 chegar.
A minha mãe comprou presentes para os netinhos e só faltava mesmo comprar os alimentos mais frescos para confeccionar os doces tradicionais.
Estava muito frio naquele dia 21 de Dezembro de 1972, em Lamego.
Combinei com a minha mãe que depois do jantar iríamos preparar a abóbora menina, que depois de cozida tinha que escorrer num saco de pano toda a noite ao relento, para no dia seguinte fazer os deliciosos bolinhos de gerimu e também a chila, não menos trabalhosa, que  tinha de ser preparada com todo o cuidado.
Depois do almoço a minha mãe preparou-se para ir ao cabeleireiro e fazer uma visita de Natal a uma prima mais velha, a quem gostava sempre de levar uns deliciosos biscoitos de azeite, feitos por ela.
Fiquei em casa a terminar os últimos presentes e a ajudar a empregada nas últimas limpezas da casa.
As horas foram passando e de vez enquanto olhava o relógio sem saber o porquê da tanta demora da minha mãe.
Lembrei-me que era  possível ter ido  à missa das 6h e sorri ao pensar que ela adorava ir assistir, sempre que podia, a uma missinha....foi mesmo o que aconteceu!                        
O frio apertava!
A noite caiu trazendo consigo um frio gélido que se estendia por aquela cidade tão pequenina, mas tão acolhedora.
Espreitei pela janela e vi que o céu estava branco e quase que podia sentir o cheiro da neve.
Estava tudo a tomar o rumo certo. Até neve iríamos ter!
Comecei a preparar o jantar para que não houvesse atrasos nas tarefas combinadas e perto das 7h senti a porta da rua a abrir.
Do cimo das escadas perguntei:
Mãezinha, está bem?
Estou na cozinha a adiantar o jantar, acrescentei.
A resposta não chegou e esperei um pouco mais.
Fez-se um enorme silêncio e o meu coração bateu devagarinho. Deve estar a olhar a mala que o mano deixou pousada no meio do quarto, pensei.
Não fiquei muito convencida com aquele pensamento e desci rapidamente as escadas duas a duas, como sempre costumava fazer.
Entro no quarto e deparo com a minha mãe estática, olhando fixamente a mala.
Ainda da porta perguntei:
Sabe quem chegou?
O teu irmão, respondeu num tom baixo e sem se mexer.
Nesse preciso momento cheguei perto dela e só tive tempo de a segurar com os meus braços. Puxei-a para a cama e não sabia o que fazer. Deixou de me falar, não respondia, momentos de aflição e eu ali sozinha.... e agora?
Puxei-a com força para cima da cama e corri a chamar ajuda. Veio a vizinha e rapidamente galguei as escadas correndo 100 metros para alcançar a casa do médico.
Felizmente que ele morava perto.
Tudo se passou em 15m e já nada havia a fazer.
Fiz tudo que era possível fazer naquele curto espaço de tempo e no cimo das escadas, com a cabeça entre as mãos, saíram os primeiros soluços.
Será que alguém avisou o meu pai e os meus irmãos do que acabara de acontecer?
Não consegui levantar-me dali e não queria pensar em nada. O meu corpo e a minha alma recusavam-se a aceitar tudo o que tinha acontecido tão de repente.
Finalmente chegou o meu pai e irmão e alguém avisou os outros, que rapidamente vieram do Porto.
Nessa noite, destinada a fazer tantas coisas deliciosas, estávamos ali inconsoláveis, olhando uns para os outros e com os olhos banhados de lágrimas.
Na minha cabeça martelava a frase: Porquê neste Natal? 
Só mais tarde e ao longo dos anos consegui obter uma resposta para tudo que acontecera.
Foram dois dias longos, onde não conseguia muito bem distinguir o que era ou não real.
Lembro-me que ali, perante o corpo sem vida da minha mãe, prometemos mantermo-nos unidos e amigos para sempre.
Era o grande sonho da minha mãe… a UNIÃO da sua família.
Passamos o Natal no Porto e juntamente com o meu pai fomos aceitando a sua partida.

O seu espírito, a sua memória, a sua presença e o seu sorriso ficaram connosco para sempre e todos os seus ensinamentos ganharam uma nova dimensão na vida de cada um de nós.
Ela foi sem dúvida o nosso melhor exemplo!
A partir desta data, começamos a celebrar o Natal sempre juntos e esta mulher maravilhosa é sempre recordada como a mãe mais linda, bondosa, doce e sábia que soube educar os filhos com muito amor e grande espírito de união.
Toda a sua vida e a sua partida, neste Natal, fizeram de nós a família que hoje somos.
Uma família muito especial.... que ama, perdoa, é solidária e acima de tudo mantêm-se unida nos bons e nos maus momentos.
 
Acredito que nada na nossa vida acontece por acaso!



Obrigado Quica por nos teres desafiado a escrever as nossas Memórias de Natal.

Feliz Natal!

DESAFIO DA LICAS



A minha amiga Licas (http://licas-ontemehoje.blogspot.com/) lançou-me o desafio de completar 5 frases. Não costumo aderir muito a estas coisas, por falta de tempo, mas como estamos no Natal aqui estou a responder para me dar a conhecer um pouco mais.

Estas são as respostas:

Eu já tive uns pais maravilhosos que me abraçavam em todos os Natais.
Agora tenho uma família, muito unida, que amo muito.



Eu nunca digo que não sei ou não posso fazer aquilo que me pedem. Para mim não há impossíveis. Quando acontece não conseguir atingir o objectivo proposto, não esmoreço perante os obstáculos que encontro no caminho. A consciência que tenho do meu poder e da minha força ajudam-me a sorrir e a recomeçar.


Eu sei que sozinha não tenho poder para ajudar todos aqueles que necessitam, mas no meu caminho têm aparecido pessoas maravilhosas que me vão ajudando e me dão força para nunca desistir. Em todos os dias da minha vida e em todos os Natais, agradeço a minha existência e a deles também.




Eu quero, quando partir, deixar uma boa e linda recordação da minha passagem pela Terra. Quero que se lembrem sempre do meu sorriso, amor incondicional, disponibilidade, solidariedade  e acima de tudo que nunca desistam de lutar por um Mundo melhor e mais justo.


Eu sonho ter na minha vida e em todos os Natais, abundância para ajudar os meus filhos e os mais desfavorecidos. Sonho ter sempre a minha família junta no Natal e adoro os nossos serões com música e histórias improvisadas.


Agora passo este desafio a todos os  amigos que me visitam e me incentivam a continuar a caminhar.
Quem desejar pode deixar as respostas nos comentários ou levar o desafio para o seu blogue

Obrigado à Licas e a todos que tiveram  paciência de me ler.

Beijinhos coloridos

Canduxa

MINHA FILHA DE CORPO E ALMA

Faz hoje 30 anos que uma estrelinha desceu do céu e pousou no meu regaço.
Para ela a minha homenagem e o meu grande abraço de amor eterno.



Passei tão depressa pelo tempo,
detive-me tão pouco com lembranças
esperando que tudo permanecesse
e fosses sempre uma criança.
Mas passamos as duas pelo tempo
e hoje regresso ao meu passado
levando-te comigo em pensamento...

E foi assim que tudo começou.

Eras uma linda e pequena estrelinha
que brilhava lá no céu, bem junto à lua.
Querias vir cumprir tua missão,
precisavas de alguém que te cuidasse.
De repente, lá me viste no jardim
cheia de tantos e bonitos girassóis,
cabelos ao vento, menino pela mão...
aquela foi a mãe que escolheste!
Chegaste num dia frio de sol,
apaixonei-me logo que te vi.
Teu sorriso lindo, inocente
iluminou para sempre a minha vida.
Embalei-te muitos dias, muitas noites.
Cuidei de ti com todo o meu amor,
levei-te à escola e ao jardim...
Eras feliz e linda como uma flor!
Respondi às perguntas que fazias,
abracei-te e amei-te sem saber
quem eras!
Tinha ainda que aprender....
Foste crescendo sempre cheia de amor,
aquele amor que sempre tive por ti.
Quando dei conta... o tempo tinha passado!
Corri para ti, quase não te senti.
Desejei então ser teu barco, teu dono
teu palácio e povoar todos os teus sonhos.
Inquieta, muitas vezes me fugias...
Oh, como tão pouco ainda eu sabia!
Chegou depois, a altura das viagens...
Vi-te partir cheia de sonhos, fantasias
brilhozinho nos olhos e de mochila às costas.
Desejava a tua volta todos os dias!
Admirava tua força, tua coragem...
Sempre cumprias tudo o que dizias,
e sorria para ti e para mim.
Eras tão feliz e eu, feliz por ti.
Soube nessa altura quem tu eras,
minha filha e também uma estrelinha!
Ajudaste-me a encontrar novo caminho,
aquele que já tinhas percorrido!
Olhei-te bem nos olhos, feito rio
e abraçamo-nos com ternura
descobrindo
que tínhamos combinado
há muito o nosso encontro.

Obrigado pela filha, pelo que tu és.
Pelo lindo ser de luz que vejo em ti.
Pelo teu grande e lindo coração.
Pela paz que me dás quando me beijas.
Pelo sorriso que Deus colocou em ti.
Pelo amor que sei que tens por mim!
Serei sempre a estrela que te guia
No caminho que escolhes...
e percorres dia a dia.
Hoje só te digo minha filha,
Faz o favor de ser feliz...
O resto não importa!

SOU....

Sou chuva e vento
Orvalho gelado cobrindo a montanha,
Flor perfumada que nasce da terra molhada.
Sou fogo sem chama na noite sem som
Candeia acesa na casa do rei.
Sou criança brincando na neve tão fria
Sorrindo sem medo de nada.
Sou pássaro voando livre e feliz
Ferido na asa por um aprendiz.
Sou estrela brilhando em noite de festa
Com manto de luz.
Sou espelho partido em dia sem cor
Olhar de mulher sem rosto e sem nome.
Sou amor desejado, vivido e sofrido
Mente vazia passeando sozinha
No mundo em mudança.
Sou luz no caminho que vejo ao fundo
Chegando cansada.
Sou rio cantando baixinho
Correndo sem hora marcada.
Sou força e fraqueza,
Sou guerra, sou paz,
Abraço apertado
De braços compridos sem nunca acabar.

A COR DO MUNDO

Olha o mundo devagar.
arco-íris, que magia
sente e vê a sua cor
nada disso é fantasia

Verás o mundo amarelo
da cor do sol a brilhar
com força e sabedoria
ensina-te a caminhar

Será também todo azul
da cor do  céu e do  mar
cheio de ondas e barcos
onde podes navegar

No Outono é laranja
cheio de folhas no chão
descobre a força que tens
fazendo meditação

Na Primavera é verde
há pássaros cantando no ar
o rio correndo sem medos
à foz querendo chegar

Um lindo campo de rosas
faz do mundo vermelho
representam o seu espírito
tanta energia sendo velho

Da alquimia interior
já noutra  dimensão
vê o mundo violeta
está em transformação

E se alguém ousar dizer
que as cores do Mundo não são
iguais às do arco-íris
nunca olhou com olhos do coração

O NASCIMENTO

Era cedo....
a hora tardava a chegar!
Adormeci no colo macio da terra
coberto de folhas amarelecidas.
No silêncio da noite, um grito de dor
anuncia o nascimento.
Oh, são girassóis!
Sorriram meus olhos azuis.
A terra recolhe-se...cansada, feliz,
olhando enternecida os novos seres
oferecidos ao Mundo.
A lua iluminou o ventre vazio da Mãe
e a noite celebrou!
Estrelas dançam com candura no céu,
mostrando seu corpo de luz...
Oh, tanta luz!
Débeis e adormecidos,
os girassóis ainda sem cor
abraçam o primeiro raio de sol.
Obrigado sol,
cantaram em coro!
Ao longe, coreografias de aves exóticas
celebram o feliz acontecimento
Que maravilha!
Ofegante e veloz,
o vento traz as mãos cheias de amor….
muito amor!
Brancas, leves, mágicas
as nuvens deixam cair as primeiras gotas de cristal
Oh, tanta felicidade …pensei!
Naquele colo macio, senti bater o coração da terra,
da Mãe que acabou de dar à luz...
uma nova maravilha!

ENTARDECER

Entardecia!
Estava exausta...
Olhei a natureza!
O sol debruçava-se no horizonte
Devagarinho.
O último pássaro cantou
O vento soprou de mansinho.
A última folha da nogueira caiu
Do tronco envelhecido
Estava embriagada pela beleza
Do anoitecer
E deixei que o último raio de sol
Me envolvesse num abraço,
Ouvindo ao longe o sino da aldeia.
Terminara o dia!
A noite nascia!
O silêncio apoderou-se da natureza
E de mim…
Debruçada na varanda que me faz sonhar
Vi a lua nascer.
Senti o coração falar baixinho...
Não há caminho para a felicidade.
A felicidade é o próprio caminho!
Sabia que aquela frase era de alguém sábio
Ali, naquele silêncio senti-me sábia...
E agradeci ao Universo aquele entardecer.

CHUVA...

Chuva miudinha sempre a cair
Um piar de andorinha, mesmo ali
O arco-íris mostrando-se a sorrir
Um rosto molhado a olhar para ti

No silêncio do momento encantado
Presa nas cores que me envolviam
A melodia do pássaro molhado
A alma que sentia o que diziam

Ah, chuva de prata cristalina e fria
Limpas a alma, tornas-me divina
No corpo que baila sem sentir.

Num instante de alegria e de ternura
Abraço a chuva tão cheia de candura
E tu, aí parado, sem sorrir!

EU SOU O QUE SOU

Sol que nasce atrás da montanha
Estrela brilhando em noite sem lua
Rio correndo sem medo de nada
Desejo de ser a força que actua

Flor que abre com raio de sol
Fruto maduro pronto a colher
Árvore cansada que se renova
Um animal que deseja viver

Luz brilhando em dias sem nome
Escuridão cega desejando não ver
Sol encoberto fechando seus braços
Grande vontade de ver renascer

Amor que se dá a troco de nada
Abraço esquecido sabendo esperar
Mãos estendidas à tua passagem
Vontade de ter e saber partilhar

Ser que acredita que tem uma alma
Sorrindo ao mundo cheio de amor
Chorando sozinho por tudo e por nada
Abraçando a Mãe Terra cheia de cor

EU SOU O QUE SOU.....
O maior Milagre da Vida!

APRENDI A VOAR...


Um dia todos aprendem a voar....
Nada acontece por acaso!

Naquela tarde de Inverno, abriu a porta
Com os olhos a brilhar
Escutou minha confissão sem interromper
Olhou-me nos olhos tentando compreender
Para ajudar

Não teve pressa em responder
Ao que perguntei
Esvaziei meu coração cheio de dor
Lembrou-me que tinha muito Amor
Foi o que precisei

Senti-me em paz, tranquila, tão feliz
Não entendi
Confiei e prestei muita atenção
Desejei seguir a voz do coração
E consegui

A sua sabedoria orientou-me
Com paciência
Deixou-me partir, livre como entrei
Não dissse para voltar, mas voltei
Não foi coincidência

Aprendi com ela a viver o presente
E a sonhar
Deu-me a mão, comecei a caminhar
A minha fé fez-me sempre continuar
Começava a relembrar

Terminou um ciclo da minha vida
De aprendizagem
Sozinha, senti coragem do Mundo abraçar
Não tive medo e aprendi a voar
Cheia de coragem

Quem sabe, um novo ciclo venha a surgir
Para nos unir
Com amor, saberei abraçar e agradecer
Partilharei com ela tudo que aprender
E...voltarei a partir

ENCONTRA O TEU EQUILÍBRIO

A Terra É e sempre foi teu Paraíso
Começa acreditar
Liberta o Ego que domina o teu peito
O corpo é o teu veículo perfeito
Vais curar

Equilibra o teu corpo mental e emocional
Aprende a clarificar
A escolha é tua, não te deixes ferir
Não são os outros, és tu que vais decidir
Deseja manifestar

Torna-te responsável e auto-confiante
Parte à descoberta
Olha o mundo numa outra perspectiva
Aceita outras verdades, sê receptiva
Mantêm-te atenta

Deixa a energia fluir através do coração
Vais gostar
Não julgues, nem te sintas inferior
Tua vida vais viver só com amor
Estás a transformar

Novo caminho vais começar a trilhar
Com imaginação
Liberta teu medo, tua programação
És um ser consciente, sem limitação
Uma nova criação

As partículas de luz vão se espalhar
Com magia
Sente o equilíbrio voltar à tua vida
Respira calmamente a nova energia
Com alegria

À PROCURA DA LUZ

Silêncio se faz
Bate o coração

Procuro a luz
Noutra dimensão


Salpica o rosto
A gota do mar
Visto de branco
Para encontrar


O rio que corre
Molha meu pé
Caminho feliz
E cheia de fé
Vislumbro a luz
Dentro de mim
Abraça-me o sol
Cheiro a jasmim

Sorriso no rosto
Azul no olhar
Olho para mim
Estou a brilhar

Subo a montanha
Já sei o caminho
Canto a canção
Que é do menino

Toco no céu
Estou a chegar
Envolve-me a luz
Já posso voltar

FILHO DA TERRA

Falaram-me de ti ao amanhecer
Com carinho
Por entre silvas e arbustos silvestres
Descobri o caminho
Até te encontrar

Sabia que eras ancestral
Ao chegar
Antes de mim, muitos te visitaram
Para te abraçar
E contigo falar

Olhei à tua volta e senti
Com alegria
Eras dono e digno daquele lugar
Tanta sabedoria
Para partilhar

Oh! Carvalho antigo e amigo
Que majestoso
Vejo teu corpo cansado e gasto
Tão corajoso
Sem chorar

Olhei teus ramos de folhas verdes
A brilhar
O sol beijando-te com ternura
Sem olhar
Para te alimentar

Fechei os olhos para sentir a tua força
E energia
Senti o teu poder, a tua seiva correr
Tanta Magia
Como sabes amar!

De mansinho, falei-te baixinho
E agradeci
Por existires naquele lugar tranquilo
E sorri
Depois de te abraçar

UM MUNDO NOVO


Neste mundo em mudança onde vivo
Encontro meu caminho com amor
Esqueço os pensamentos negativos
Descubro a sabedoria interior

Minha missão é viver e experimentar
Com paciência aprenderei cada lição
Sintonizo-me com a minha consciência
Sigo sem medos a minha intuição

Vou descobrindo o meu poder de cura
Que o universo me oferece dia a dia
Transformo minha vida, minha vibração
Ofereço a todos meu sorriso e alegria

Alimento meus sonhos com intensidade
Vivo o agora, sem nada esperar
Agradeço ao Universo minha felicidade
Já sinto um Mundo Novo começar!

É TÃO FÁCIL MEDITAR....



Sentada, de olhos fechados respira fundo
Confiante
A serenidade vai chegar ao teu ser
Num instante

Inspira muito amor, paz e alegria
Para começar
Expira a ansiedade, o medo, a tristeza
Vais libertar

Abraça as montanhas, o arco-íris no horizonte
Estás a visualizar
Começa a co-criar, eleva-te no ar
Aprende a voar

Sente a verdadeira essência do teu ser
Vais despertar
Une-te à mãe terra, ao mar, ao universo
Estás a relembrar

Sorri. És feliz, és perfeito
Vais sentir
O corpo e a alma encontram o equilíbrio
Vais conseguir

Descobre a sabedoria dentro de ti
Para perdoar
És centelha Divina, vês a luz a fluir
Aprende a celebrar

HORAS....

Pegadas na areia são horas passadas
Sonhos presos com laços de seda
Partem sem rumo por longas estradas
Perdem-se no tempo com tanta firmeza

Liberdade na mente é hora presente
Sonho voando nas asas do vento
Vibrando de amor e luz transparente
Acredita na vida, no amor e no tempo

Caminho sem fim é hora futura
Sonho velado esperando encantado
Sorriso escondido envolto em candura
Acredita nas horas... esperando cansado

EMOÇÕES

Não julgues nem retenhas tuas emoções
Aprende a sentir
Pega-lhes ao colo como criança
Dá-lhes atenção, sente confiança
Vais conseguir

Sem medo, mostra tua força e coragem
Estás a aprender
Liberta teu corpo de tanta dor
Limpa tua mente cheia de rancor
Usa o teu poder

Mantém-te consciente, sempre neutro
Com amor
Não pretendas alcançar a perfeição
Não sejas vítima de qualquer situação
És um criador

Aceita tuas fragilidades em paz
Deixa de controlar
Aceita-te com carinho e compreensão
Olha para ti, aprende a dizer não
Um dia tudo vai mudar

UM DIA SEM PENSAMENTOS

O despertador soou baixinho
Abri um olho, depois outro, ainda era cedo
Agradeci a Deus este novo amanhecer
Pedi ao meu Anjo para nunca me esquecer
Espreguicei-me, saltei da cama devagarinho
Olhei o reflexo do meu rosto no espelho:
Oh, que linda que era, mesmo de vermelho!
Os cabelos estavam lisos, que maravilha!
Brilhantes e dourados como uma espiga
Ouvi o som da água caindo...
No meu corpo adormecido
A toalha deslizou até aos pés...
Ainda entorpecidos
Sem pressa, saboreei o pequeno-almoço
Voltei depois ao quarto, sem alvoroço
Olhei a roupa pendurada no armário
Vesti a mais colorida que podia
Oh, parecia um arco-íris...
Cantava como cotovia!
O coração bateu devagarinho,
Senti que celebrava o novo dia...

Com alegria...
Sorri de felicidade!
Saí de casa numa correria...

E o trânsito?
Esse, não havia!
Entrei no meu gabinete, confiante
Atirei o cabelo para trás...

Num gesto elegante
A colega lá ao fundo, olhou espantada
Murmurou um elogia atrapalhada:
Oh, estás linda: simples e colorida
Sorri de novo, de felicidade!
Abri a janela que dava para o jardim:
Um pássaro cantou...

A rosa amarela desabrochou !
Nesse momento, o chefe entrou ...
Com ar enigmático

Esperei calmamente para ouvir a sua voz:
O que tenho para assinar? – disse, simpático
Os processos ficaram prontos num segundo
Leu, releu e assinou bem ao fundo

Durante a tarde despachei todo o trabalho
Sorri ao telefone, respondi aos mail recebidos,
Atendi simpaticamente quem chegou e...
Consultei os meus blogues preferidos
Falei com a filha ao telemóvel (estava tão feliz...)
Reencontrou um amor antigo, é o que diz!
O filho, esse, nem deu sinais de vida
Anda sempre atarefado... mas é tão feliz!
Cheguei a casa despreocupada e sorridente
Preparei-me para estar a sós comigo
Apenas por uns minutos....
Fechei os olhos e senti com alegria
A mente tinha encontrado o coração
Que emoção!
E os pensamentos?
Esses, foram levados pelo vento!

OLHANDO O MAR

Olho para ti, pareces o Universo
Mergulho nas profundezas do teu saber
Aprendo contigo o segredo da eternidade
Fecho os olhos tentando compreender

Cada onda tua traz uma mensagem
Teus segredos ensinam-me a viver
Imagino teu caminho, sinto-me voar
Encontro o teu mundo sem querer

Já perto do sol, olho para ti
Deslumbro-me com tanta beleza
És tão azul, tranquilo, majestoso
Nunca antes tive esta certeza

Vejo o reflexo dourado no teu corpo
Quando o sol te beija com ternura
Estás sempre em movimento
És grandioso, nada te perturba

Acompanho todo o teu percurso
Segues sem medo a tua intuição
Tua força faz-me continuar
Como tu, cumprirei minha missão

Regresso do teu mundo tão depressa
Com alegria e muita emoção
Descubro tua cumplicidade com areia
No silêncio amam, vivem em união

DE ONDE VENHO?


Venho do mundo da luz…
Onde há brilho, muita cor
Perfume de tantas flores
O sol nasce bem cedinho
Os pássaros cantam baixinho

Os anjos iluminam o caminho




Venho do mundo da  luz...
As nuvens choram, ás vezes
O mar esconde segredos
E só há montanhas verdes
A lua adormece sozinha
As estrelas são pequeninas





Venho do mundo da luz…
Onde todos fazem milagres
E voam parecendo aves
Sorriem com muita doçura
Olham com tanta ternura
Amam sem ser amados




Venho do mundo da luz…
Todos abraçam sem braços
Cantam e beijam com graça
Brilham e sabem amar
Um dia vou ter saudades
E...v
ou querer lá voltar!

MERGULHO BEM FUNDO.....


Mergulho bem fundo no mar revolto da minha alma
Molho meus pés descalços na alva espuma
Que se espreguiça com amor na praia deserta
Deixo que o vento desvende meus segredos
Por entre meu corpo frágil e nu
Navego no barco da vida, celebrando o amanhecer
E contemplo com um sorriso a estrela que é minha
Envolvo-me na luz de que sou feita, e deixo acontecer...
Sem medo, descanso na onda gigante e mansa
Que ajuda alcançar minha meta
Mergulho bem fundo no mar dos sonhos perdidos
Abro os braços e desperto aqueles já esquecidos
Serena, alcanço agora a outra margem ...celebro!
No mar da dualidade, aprendi a fazer minhas escolhas
Não existe dor, senão na minha mente!
Uno-me a todos os mares
Mergulhando bem fundo no Amor infinito

SOU O AMOR


Com um sorriso procuro o teu olhar
Mostro sem limites a minha essência
Ajudo-te a equilibrar e a perdoar
Ofereço minha força, minha inocência


Ensino-te a viver sem sofrimento
Na dualidade estou só a experimentar
Na unidade mostro meu contentamento
No silêncio escuto, ensino-te a respeitar


Abraço-te com ternura e compaixão
Sou sábio e desvendo teus segredos
Seco tuas lágrimas, dou-te a minha mão
Alimento  sonhos e destruo medos


Sou sereno, corajoso, tenho poder
Escuto, sou bondoso e tolerante
Não critico, aceito, gosto de ser
Sou o AMOR, real e fascinante

ENQUANTO ESTIVE A SORRIR...


Enquanto estive a sorrir...
A flor que plantei no jardim desabrochou
A árvore levantou seus ramos para o céu
O sol acordou atrás da montanha, feliz brilhou
Ergui as mãos, fiz a oração, vi através do véu

Enquanto estive a sorrir...
A estrela caiu do céu e iluminou meu caminho
A chuva molhou meu rosto, envergonhado corou
O mar bramiu, beijando a areia com carinho
O pássaro sacudiu as asas, cantou e voou

Enquanto estive a sorrir...
Um anjo desceu à terra para me acompanhar
A escuridão deu lugar à luz e desapareceu
A fé percorreu com intensidade meu ser
O sonho tornou-se realidade… tudo aconteceu!

Enquanto estive a sorrir...
A vida fez-me sentir o amor a cada instante
Corri riscos, fiz escolhas, amei e transformei
Relembrei outras vidas, outros caminhos distantes
Acreditei, abracei o mundo, senti paz e perdoei

Enquanto estive a sorrir...
Tudo aconteceu e fui feliz!

QUEM SOU?

Sou Sol...
Nascendo e brilhando
Estrela dormindo
Flor em botão.
Sou mar...
Calmo e bravo
Pássaro cantando
Uma bela canção.
Sou sorriso...
No rosto de uma criança
Que nasce sem medos
No seu coração.
Sou cavalo...
Correndo sozinho
Na praia deserta
Sem solidão.
Sou mulher...
Sou filha, sou mãe
Vivendo o presente
Com gratidão.

UM SONHO


Ouvi uma voz vinda do mar
Senti a dor de pássaro ferido
Imaginei teu olhar molhado
Acreditei que já tinha partido

Olhei o pôr-do-sol com nostalgia
Vi a mensagem na sua despedida
Ouvi o som da luz que me dizia
Ainda é cedo, adiei tua partida

Adormeci então feito criança
Acordei de noite com a lua
Dancei inebriada com as estrelas
Sem notar que estava toda nua

Meu sonho era tão lindo, tão real
Um anjo cobriu-me com seu amor
Abri os olhos e vi o sol nascer
Voltei, para te dar uma última flor

MINHA ESSÊNCIA



Encontro-te,
No jardim recheado de tesouros
No rio que não para de cantar
Na montanha cheia de sol e verdejante
Descansando tranquila ao pé do mar

Vejo-te,
Quando me ofereces tua paz e equilíbrio
Quando voas sorrindo para me abraçar
Quando descobres meu sorriso escondido
Perdoando e curando com teu olhar

Ouço-te,
Quando acordo e celebro o novo dia
Quando pedes com doçura para mudar
Quando transmites tua sabedoria
Dando forças para poder continuar

Sinto-te,
Quando tua luz me envolve e ilumina
Quando me chamas para juntas meditar
Quando brincas comigo, feita menina
Aceitando minhas escolhas sem julgar

SEM PRESSA



Sem pressa, percorro sozinha
A praia deserta
Sentada na rocha, vestida de areia
É tempo de festa
O sol se despede, espalhando seu brilho,
Lembrando viagens
Converso com todos que amo e conheço
De outras paragens.
Navego no tempo, procuro certezas,
Caminho na luz.
Amo meu barco, feito de sonhos
Ninguém o conduz
Escuto quem sofre, falo de amor
Aprendo aceitar
Perco-me no tempo,esqueço meus medos,
Estou a transformar
Estou tão feliz, tão cheia de força!
Quero partilhar
Estendo meus braços, abro as mãos…
Já posso voltar!

MÃE, QUERIDA MÃE

Mãe…que suave, que doçura, que encanto que ternura… era assim a minha mãe, aquela que me deu o ser, que tanto me amou e que eu amei também.
Partiu cedo, cedo demais, mas tanta coisa ensinou e tanto amor espalhou.
Não compreendia outrora quando, era eu uma criança, trazia para casa todos aqueles que encontrava. Um sorriso, um abraço, matando a fome a quem tinha, vestindo os que tinham frio e com palavras e um sorriso a todos consolava.
Lembro-me de ficar espantada e de pensar: Oh, mas é possível existir alguém assim?
Era linda, bondosa, sabia ouvir, perdoar e nunca dizia que não.
A sua fé era grande e caminhava passo a passo sabendo que na vida tudo tinha um tempo para acontecer....
À sua volta havia sempre alegria, grande dose de magia e todos gostavam dela.
Que saudades desse tempo... em que corria para ela, para me beijar e abraçar.
Hoje, sinto que não soube dizer-lhe o quanto gostava dela….o quanto a amava.
Hoje, quando olho para mim eu sei que tudo que sou foi ela que me ensinou.
Hoje, tenho a certeza que ela era um ser muito evoluído que com o seu exemplo ensinou, a todos que a conheceram, o que era o perdão, a união, a partilha e o amor.
Obrigado MÃE por teres sido minha mãe e teres sido o meu melhor exemplo.
Sei que onde estás esperas por mim para me abraçar e que na Terra me acompanhas em cada dia que desperto.
Hoje, querida mãe, partilho aqui o nosso encontro!

Deitei meu corpo cansado junto ao mar
Embrulhei-me num lençol de areia fina
Olhei o último raio de sol a brilhar
Esperei sem pressa a onda cristalina

Com manto azul, era noite de luar
Envolta em luz e brilhando como estrela
Esperando que me levasse a algum lugar
Deitei-me numa nuvem, mesmo sem vê-la

Ao ouvir ao longe o vento a murmurar
Abri os braços com desejo de abraçar
Sentindo que estava a “casa” a regressar

Ao som de trombetas soando baixinho
Um anjo dourado apareceu sorrindo
Trazendo minha Mãe para me abraçar


Nota: fotos retiradas da net

VAI, AMOR…


Vai, amor, olhar-te ao espelho
Sente o bater do teu coração apressado,
Sem dor.

Abraça-me, mesmo longe no tempo.
Sonha comigo, não quebres o encantamento,
Meu amor!

Não percas teus sonhos, encontra tua cor,
Olha o horizonte, vive a magia do mar.
Tu sabes navegar…

Não tenhas pressa. Não tens idade.
Só tu podes alcançar tua felicidade.
Sei esperar …

Vai, vai amor, aprende a voar!
O céu espera por ti. Ficarei aqui,
A olhar.

As estrelas e a lua vão celebrar
Tua chegada. Tua partida irás recomeçar.
Nada vai terminar!

PRÉMIO DA AMIZADE

A minha amiga, do blogue Tal Qual Sou , Maria Emília honrou-me com o prémio da amizade que muito me sensibilizou.

REGRAS A SEGUIR PARA QUEM RECEBE O SELO:
1 - Exibir a imagem
2 - Postar o link do blog que o premiou
3 - Publicar regras
4 - Indicar 10 blogs para receber o selo
5 - Avisar os blogues nomeados.

Passo então a citar a minha lista de premiados:
alegriadeviver
Sensações Fadaeliane
Cantinho da Belita
maravilhas a mesa
ÁFRICA EM POESIA
Chuviscos...
Pelos Caminhos da Vida
O BOTINHAS
Cozinha da Risonha
"NADA ACONTECE POR ACASO"

TOQUEI O CÉU

Quando era criança olhava o céu e desejava muito tocá-lo.
Sempre que os meus pais me levavam à Serra das Meadas, tentava subir ao ponto mais alto e em bicos de pés esticava os braços pensando que assim chegaria ao céu.
Naquela altura não ficava triste, pois sabia que um dia iria conseguir tocá-lo.
Deixei de ser criança, esqueci esse desejo profundo e hoje, passado meio século, consegui finalmente tocar o céu.
O poder que tinha quando criança é o mesmo que tenho hoje só que as experiências que vivi, ao longo destes anos, ensinaram-me a ser livre, a aceitar-me como sou e a descobrir esse poder que estava escondido dentro de mim.

Toquei o céu com os dedos mágicos que abrem a minha mente
Abri a porta trancada que me separava da luz, finalmente.
Deixei para trás meu passado e atirei um beijo puro e casto à nuvem, que passou por mim com pressa de chegar ao seu destino.
Sem demora, soltei o laço de seda branca que a prendia à Terra,
deixando-a livre para continuar seu caminho.
Em bicos de pés, ergui os braços e pequei a estrela mais brilhante do firmamento, deixando que seu brilho cobrisse meu ser por um momento.
O céu azul envolveu-me com ternura oferecendo-me as nuvens para descansar.
O sol, que já estava recolhido, surgiu com seus braços para me abraçar.
Um pássaro dourado atirou-me a rosa mais bela e perfumada que colheu no jardim celestial.
Toquei o céu e senti a magia e a beleza do Universo dentro de mim.
Minha alma louvou o Criador e desejei recomeçar....

APRENDENDO A AMAR

A procura de saber o que era o Amor e a sua verdadeira essência levou-me, e ainda me leva, muitas vezes a meditar. No silêncio, fui encontrando algumas respostas e ainda hoje sinto que tenho muito a aprender.
Quando olho para trás, fico feliz pelo caminho que já percorri....aprender a amar faz-nos sentir mais perto do nosso verdadeiro EU.
A Páscoa está aí e com ela a possibilidade de renascer para uma vida melhor, sem pressa, sem medos e com muito amor.

Amem e sejam felizes!
Feliz Páscoa!


Aprende a ouvir os sinais do Universo
Para começar
Mantém tua fé, vive cada momento
Aguarda o tempo certo, segue o firmamento
Estás acreditar

Encara em cada dia a possibilidade da vitória
Vais alcançar
Tudo muda num segundo sem querer
Continua a viver, procura compreender
Sabe esperar

Encontra a tua verdadeira essência do ser
A meditar
Livra-te da insatisfação, aprende a ser feliz
Escuta com atenção o que o coração te diz
Para mudar

Evita a raiva, o egoísmo, o orgulho
Vais perdoar
Procura o equilíbrio, olhando internamente
Ama, deixa fluir, esvazia tua mente
Estás a transformar

Esquece a solidão, o sofrimento, a dor
Vai terminar
Finalmente a paz vai chegar ao coração
És livre, vais voar e cantar tua canção
Aprendeste a amar


O TEMPO

O momento presente, aquele que muitas vezes não temos tempo de viver, mostra-nos a sua beleza a caminhar.
Viver o Aqui e Agora é um dos segredo para sermos felizes!
Sente o chamamento da natureza, descobre a cor do mundo e desperta.



Passas por nós todos os dias
Olhando a sorrir
Caminhas depressa, nada te detém
Amas a todos, não excluis ninguém
Contigo podemos ir

Começas teu caminho ao amanhecer
Cheio de cor
A todos chamas sempre a cantar
Quem quiser pode-te acompanhar
Com amor

Mostras o sol, os pássaros, as flores
Todos podem ver
Saltas feliz de tanta emoção
Dás beijos nas crianças com paixão
Assim podemos ser

Ofereces a chuva, o frio, o calor
Sem ter vaidade
Partilhas o céu, as estrelas, o mar
Mostras a beleza a caminhar
Não tens idade

Em dias cinzentos, sem sol
Sacodes a dor
Cobres-te com manto dourado
Cheirando a mato queimado
Cheio de sabor

E passamos por ti, tão depressa
Sem descansar
Não ouvimos tantas vezes o coração
Nem temos tempo de dar a mão
Tudo vai passar

Peço-te, meu Deus! Enquanto dormes
Manda ao mundo uma mensagem
Sacode-nos o corpo e a alma com vigor
Ajuda-nos a caminhar só com amor
Até que chegue o dia...
Da última Viagem.

NO SILÊNCIO ESCUTA O TEU CORAÇÂO


Por onde passeias nas noites sem lua e nos dias sem sol?
Para onde olhas quando acordas que não sentes as asas brilhantes que carregas aos ombros?
Não ouves o chamamento das flores que um dia plantaste no jardim do teu coração?
Esqueceste que és anjo?
Esqueceste que és mestre?
Porque não continuas o teu caminho de "regresso a casa", aceitando o teu reflexo no espelho em que te olhas todas as manhãs?
Porque não trancas as portas do medo, da insegurança e do sofrimento?
Não te esqueças que és forte, sábio e tens poder.
És tu que fazes com que milagres aconteçam na tua vida.
Tu és um criador!
Tu és Amor!
Tu és Luz!

HOMENAGEM AO MEU PAI

Segundo registos, o dia do Pai teve origem na antiga Babilónia há mais de quatro mil anos.
Um jovem, de nome Elmesu, desejando que seu Pai tivesse sempre sorte, saúde e uma longa vida, esculpiu em argila o primeiro cartão em sua homenagem.
Contudo, foi nos Estados Unidos que este dia foi tornado oficial e difundido para outros países.
Portugal escolheu o dia 19 de Março, dia de S. José, para homenagear os pais portugueses.
Aproveitando este meu novo “espaço” faço também a minha homenagem ao Pai maravilhoso que tive.
Apesar de ter partido há muito tempo, continua bem vivo no meu coração e sempre presente em cada novo amanhecer.
Paro no tempo e vejo-me criança, de vestidos leves e coloridos, correndo no jardim que existia em frente à minha casa, sob o seu olhar atento e cheio de amor. Sinto ainda hoje o cheiro das tílias e todo o carinho que depositava em cada beijo e abraço que lhe dava e que tão ternamente me retribuía.
Ao domingo, levava-me ao café para beber uma groselha (nunca mais bebi uma igual…) e caminhávamos de mãos dadas até ao campo de futebol, para assistirmos a mais um jogo.
Ah, os piqueniques que fazíamos no Verão faziam a minha delícia!
Admirava o seu porte elegante, a sua beleza, o cabelo preto e sempre bem penteado e a sua honestidade.
Com o passar dos anos, aprendi que amor e ternura também significavam estar preocupado com o meu futuro. Lembro-me constantemente dos seus sábios conselhos e do seu sorriso sempre que me via ultrapassar mais um obstáculo e atingir um novo objectivo.
Mais tarde, já com a minha própria família, nos dias de férias que passávamos juntos, partilhou comigo muito da sua sabedoria de vida.
Obrigado Pai pela tua ternura, protecção e amor.
Foste um grande homem e um grande Pai.
Em Agosto de 2008, sonhei que nos tínhamos encontrado.
Foi tão real e tão maravilhoso que partilho aqui esse encontro, em sua homenagem, tendo a certeza que ele continua a sorrir-me.

ENCONTRO COM O MEU PAI

Oh, doce e belo fim de tarde me embalava
No perfume das tílias e de rosas a bailar
Um suave e quente vento convidava
A sorrir, a sonhar, a caminhar...

Nostálgica, olhei o jardim onde me encontrava
Um vulto descansava à sombra da tília secular
Sereno, um canteiro de flores contemplava
Aproximei-me para encontrar o seu olhar

Não sabia há quanto tempo ali estava a olhar
Que vinha ao jardim da minha infância procurar
Baixinho murmurei: Pai, veio-me buscar?

Voltou-se e sorriu. Vi amor no seu olhar
Sentei-me no seu colo e falamos, sem falar
Uma lagrima caiu.
Pai, ainda é cedo para me levar.

O banco, a tília (ainda sem folhas) no jardim da minha infância
Lamego