LIBERTAÇÃO


imagem retirada da net

Muito a custo tentei alcançar a pedra oval e irregular que, coberta de musgo, dava acesso a uma pequena casa de pedra coberta de heras.
Não sabia que casa era aquela nem o que ali iria encontrar, mas a minha intuição levava-me a seguir o som da melodia suave que se fazia ouvir, bem como o perfume de rosas tão intenso que me inebriava o corpo.
O dia acabara de nascer e o sol ainda espreguiçava suavemente seus braços dourados. Uma aragem fresca fez estremecer o meu corpo frágil e aconcheguei-o com o xaile de lã azul que tinha recebido de presente no último Natal. Olhei à minha volta e o silêncio fez-me sentir o bater apressado do coração. Soube naquele momento que nada me faria desistir de descobrir que mistério escondia aquela casa tão pequena e misteriosa.
Aproximei-me silenciosa e consegui alcançar, em bicos de pés, a única abertura que a casa mostrava. Era enfeitada de heras e miosótis, que quase tocavam o telhado reluzente feito de ardósia negra. O primeiro raio de sol iluminou, por segundos, um pedaço de pedra branca polida onde se encontrava uma mulher ainda adormecida.
Não consegui aguentar por mais tempo aquela posição e de um salto alcancei a relva verde e humedecida que se encontrava mesmo por debaixo da janela.
Rapidamente encontrei forma de voltar a subir. Mesmo em frente à casa havia uma enorme figueira. Descalcei os sapatos, pousei o xaile na rocha e atrevi-me a desafiar aquela árvore enorme e cheia de frutos ainda verdes, que espantada olhava para mim.
Admirei-me com a agilidade e força que ainda possuía, conseguindo em segundos alcançar o cimo da árvore. Agarrada a um forte ramo, consegui finalmente alcançar a pequena abertura e espreitar de novo.
Não tinha sido imaginação minha. Deitada na pedra de mármore branca lá estava aquela mulher na mesma posição e por mais que quisesse não conseguia ver-lhe o rosto que quase adivinhava cansado e triste.
O primeiro raio de sol entrou naquela casa fria e despida e um ténue movimento de cabeça deixou-me ver-lhe o seu rosto. Era tão belo!
Que estranho, pensei!
Que faria ali aquela mulher bela, sozinha e com ar de tanto sofrimento?
De vez em quando conseguia ver o movimento dos seus braços, para a frente e para trás, sentindo que pedia ajuda.
Do local onde estava não me fazia ouvir, apesar dos sons que emitia com toda a força da minha alma.
Por favor, estou aqui em cima, posso ajudar?
Olhe, está aqui uma pequena abertura por onde poderá  sair. Não quer tentar subir?
Pensei que seria impossível sair fosse quem fosse por aquela abertura, mas o meu desejo de salvar a mulher não me fazia pensar em pormenores.
A minha missão era salvar aquele ser em sofrimento.
A posição daquela mulher era incómoda, estando certamente a causar-lhe alguma dor e sofrimento, mas senti que procurava ajuda para poder caminhar à procura de algo que a faria feliz.
Nenhum sacrifício seria de mais para o conseguir, pensei.
Sem ter conseguido ser ouvida ou sequer obtido um leve movimento de olhos na minha direcção resolvi descer para pedir ajuda.
Sentei-me na  pedra oval e polida e admirei toda a beleza que me envolvia.
O sol estava quente e as últimas andorinhas ainda esvoaçavam no ar numa dança maravilhosa.
Recordei os dias de Primavera passados na aldeia!
O cheiro das primeiras flores a desabrochar e os ninhos que nos beirais das casas de madeira faziam todos os anos!Que delícia era observar, de novo, as andorinhas num vai e vem constante para alimentar seus filhotes que abriam o bico e piavam sem cessar.
Deixei-me embalar por esta visão maravilhosa e adormeci, sentindo a magia daquele dia morno e perfumado.
Em segundos, iniciei  uma longa viagem pelo Universo e descobri que existiam dois mundos onde vivia: um exterior e um interior.
No mundo exterior quase todos os seres humanos lutavam por conseguir uma vida melhor: havia guerras, pessoas em sofrimento e com olhos cheio de lágrimas, crianças tristes e desnutridas, amparadas pelas mãos frágeis das mães que levavam ao colo  crianças mais pequenas.A água e os alimentos eram escassos e as doenças propagavam-se rapidamente.
Havia homens poderosos que alimentavam essas guerras a troco de grandeza e riqueza, fechando os olhos a tanta injustiça, dor e destruição.
Nesse mundo todos viviam em sobressalto procurando conseguir o mais possível para terem um futuro melhor.
Tinha a certeza que muitas daquelas pessoas não teriam futuro, não estavam sequer a conseguir viver o presente de uma forma digna e feliz.
O que poderia significar o futuro para essas pessoas?
Estranhava que ninguém parasse para pensar o que se estava a passar ou o que significavam as palavras AMOR, PERDÃO, COMPAIXÃO, ALEGRIA e FELICIDADE.
No entanto, consegui ver que existiam algumas pessoas tranquilas, felizes e que sabiam amar.
Que pessoas eram essas?
Que magia havia nas suas vidas que conseguiam distanciar-se de tanta revolta, de tanta luta pelo poder, de tanto ódio estampado em tantos rostos, incapazes de entenderem o verdadeiro significado do perdão?
Que pessoas eram essas que sabiam proteger a natureza, que ajudavam os mais desfavorecidos, que sentiam compaixão e  lutavam por um Mundo melhor?
Estaria a sonhar ou estaria já a ver o início de um Mundo novo, de um Mundo mais justo? 
Um raio de sol brincou com o meu cabelo e o vento suave levou-me a ver o Mundo interior.
Esse mundo era cheio de luz, de paz e de amor.
As pessoas amavam-se e eram felizes!
Viviam como borboletas e pássaros num jardim, cheio de belas e exóticas flores, completamente livres e sorridentes. Amavam todos os seres que encontravam, fossem eles plantas, animais ou humanos. Não havia guerras, pois a abundância existente no Universo era de todos e para todos.
Não havia ódio, raiva, ciúme ou inveja em nenhum olhar, em nenhum gesto.
Todos eram iguais e tinham oportunidades iguais.
Ao som de harpas adormeciam todas as crianças e passeavam todos os velhinhos com doces sorrisos estampados no rosto.
Deixei-me envolver naquele mundo em perfeita harmonia e voei sem asas, sentindo que aquele era o meu verdadeiro Mundo.
Um sentimento de paz envolveu-me e um sorriso desenhou-se no meu rosto coberto de luz.
Que sentimento era aquele que me fez sentir tão feliz?
Seria Amor Incondicional?
Naquele voo mágico pelo céu, ainda sem estrelas, não tinha vontade de regressar ao mundo exterior.
Tinha descoberto a magia da vida, o amor incondicional e a luz.
O vento soprou forte e um arrepio sacudiu-me o corpo.
Abri os olhos e olhei o céu.
O sol escondia-se atrás da montanha e a lua mostrava o seu rosto ainda adormecido.
Apressadamente embrulhei-me no xaile de lã e sorri ao pensar que tinha libertado aquela mulher do sofrimento em que se encontrava. 
Acabara de descobrir o seu Mundo interior, o seu poder e a sua força para continuar a viver.

26 comentários:

RETIRO do ÉDEN disse...

Amiga Canduxa,

Bem vinda ao Mundo real, para junto dos teus e com essa Luz e Sabedoria, para uma entre-ajuda perfeita.

Bjs.sinceros
Mer

Ana Martins disse...

Amiga Canduxa,
a libertação, acontecendo assim dessa forma traz paz, sapiencia e serenidade.
Gostei da descrição desta vivência!

Beijinhos,
Ana Martins

Natália disse...

Canduxa minha querida amiga
Obrigada pelo carinho
Beijos de luz.Chuvas de bençãos.

manuela baptista disse...

Era decerto um xaile especial

diferente de todos os xailes??

Não! Os ombros que aconchegava é que são especiais...

Obrigada pela descoberta de cada um dos nossos mundos interiores!

um beijo

Manuela

mfc disse...

É uma viagem interior tão bonita, quanto surpreendente... e bem escrita!
Foi um prazer viajar contigo nesse sonho/realidade lindo.

mundo azul disse...

_________________________________

Muito bonito o seu texto, Canduxa!
Gostei de ler...


Beijos de luz e o meu carinho GRANDE!!!

_________________________________

alegria de viver disse...

Olá querida amiga
Esta foi a libertação mais linda que li, li e escutei já que li alto, bendita a pessoa que consegue.
Com muito carinho e feliz pela sua amizade BJS.

Mariazita disse...

Duxinha querida
Lindo, o teu texto relatando a "Libertação" - experiência única e arrebatadora.
Li de um fôlego, encantada. E ficou um gostinho de 'quero mais...'
Para quando???

Doces beijinhos da tua
Manita

Maria Emília disse...

Gestos tão pequenos e que fazem toda a diferença e libertam do sofrimento pessoas que não conseguem entrar no seu mundo interior.
Obrigada Canduxa por nos mostrares como podemos fazer para nos libertar e libertar os outros.
Um grande beijinho,
Maria Emília

Eliane disse...

Canduxa querida!
Bela descrição de uma vivência de libertação.
Beijinhos em seu coração!

Céci disse...

Olá Canduxa,

Só um xaile de uma pessoa especial conseguiria essa força a "libertação".

Muito bonita a mensagem deste texto.

Bjinhos

Céci

EVELIZE SALGADO disse...

Canduxa, que texto lindo! E que lindo momento.
Real, verdadeiro, tão necessário e asolutamente feliz.
É o momento do AMOR, o único capaz de nos dar a total liberdade.

Senti um arrepio de felicidade.

Um grande beijo, companheira de jornada!

poetaeusou . . . disse...

*
a tua prosa
sacudiu o meu corpo,
,
belo texto,
obrigado,
,
conchinhas,
,
*

Tite disse...

Um belo texto de um coração d'ouradado.

Muita Luz e Amor
para ti também
querida Canduxa

ematejoca disse...

Adorei da descrição desta vivência, minha cara Canduxa!

Se gosta de desafios, aceite o que publiquei hoje no "ematejoca azul".

A saudação habitual de Düsseldorf!

AFRICA EM POESIA disse...

Canduxa

Cheguei ...
A escola terminou por hoje e já estou a sentir o fim de semana...

Com mais tempo mas com muito frio deixo para ti...um beijo e o que gosto de fazer...


Poesia...


SEGREDOS

Segredos meus…
Segredos teus…
Segredos nossos…
Mas sempre segredos…

Segredos calados…
Segredos sofridos…
Segredos escondidos…
Porque são só nossos…

E nestes segredos…
Que doem, por serem segredos…
Não vamos contar…
E vamos calar!...


Lili Laranjo

Lilá(s) disse...

Olá
gostei muito dos seus blogues, não a vou seguir mas sim perseguir...voltarei
Bjs

Agulheta disse...

Canduxa.A libertação de um ser sempre será especial,e nela sempre devemos ter a sabedoria para a tentar alcançar,nem que seja pelo sonho.
Agradeço as palavras de carinho no blogue.Beijinho bom domingo em paz e amor.Lisa

AFRICA EM POESIA disse...

Canduxa


Com um beijo grandeeeeeeeee

a poesia nasce muitas vezes das pequenas coisas que ninguén dá valor. Mas o poeta está atento


PEDRA FRIA


Sentada nesta pedra fria

Os meus pensamentos voam
Aqui vejo as árvores e o céu...
As libelinhas e as formiguinhas...

E tudo me faz companhia...
Tudo me faz sentir bem...
Pois com cuidado vêm ter comigo...

E a libelinha de mansinho...
Poisa nos meus ombros...
E sinto que me afaga...
Como a querer beijar-me...

As formigas, correm e correm...
Estão a pensar nelas...
Vão trabalhando...
E não olham para mais nada...

Trabalho e liberdade...
Estão de mãos dadas...
E com carinho...
Olham para mim...

E eu sentada na pedra fria...
Deixo-me embalar...
E deixo-me adormecer


LILI LARANJO

Pelos caminhos da vida. disse...

DESEJO DE TUDO...
UM POUCO !

Sensibilidade ...

Para não ficar indiferente
diante das belezas
da vida ...

Coragem ...

Para colocar a timidez de lado
e poder realizar o que tem vontade.

Solidariedade ...

Para não ficar neutro
diante do sofrimento da humanidade.

Bondade ...

Para não desviar os olhos
de quem te pede ajuda.

Tranquilidade ...

Para quando chegar ao fim do dia,
poder deitar e dormir o sono dos anjos.

Alegria ...

Para você distribuí-la,
colocando um sorriso no rosto de alguém.

Humildade ...

Para você reconhecer
aquilo que você não é.

Sinceridade ...

Para você ser verdadeiro,
gostar de si mesmo,
e viver melhor.

Felicidade ...

Para você descobri-la dentro de você
e doá-la a quem precisar.

Amizade ...

Para você descobrir que,
quem tem um amigo,
tem um tesouro.

Esperança ...

Para fazer você acreditar na vida
e se sentir uma eterna criança.

Sabedoria ...

Para entender que só o bem existe,
o resto é ilusão.

Desejos ...

Para alimentar o seu corpo,
dando prazer ao seu espírito.

Sonhos ...

Para poder, todos os dias,
alimentar sua alma.

Amor ...

Para você ter alguém para amar
e sentir-se amado.

Para você desejar tocar uma estrela,
sorrir para a lua.

Sentir que a vida é bela,
andando pela rua.

Para você descobrir que
existe um sol dentro de você.

Para você se sentir feliz
a cada amanhecer
e saber que o amor
é a razão maior para viver.

Mas, se você não tiver um amor,
que nunca deixe morrer em você,
a procura.
O desejo de o encontrar.

Tenha de tudo, um pouco...

E SEJA FELIZ!

Boa semana para você!

beijooo.

.Lis disse...

Oi Canduxa
Obrigada pela visita e comentário. Gostei daqui ,fico feliz por me proporcionar conhece-la atraves dos seus blogs. Como estou em viagem, vou linkar e na volta posso ver tudo que seu mundo colorido me oferece rs Estive no blog dos anjos e das receitinhas, no momento ando a procuro de colorir ou descolorir meu mundo interior ,porisso fiquei aqui.Depois vou visitar os anjos , as receitas deixo por último, estou de dieta interminável rsrsrs
Gostei do texto da libertação e do mistério envolvente. Lindo conto.
meus abraços,

Lisa_B disse...

Querida amiga linda,
adorei este texto maravilhoso e cheio de encanto.
Queria ter um xaile assim e poder passar para o Mundo Novo.
Não me posso no entanto queixar deste Mundo já que nele estão pessoas que me são muito queridas a começar por ti.

Beijinhos com carinho

Lisa_B disse...

Estranho...talvez tenhas alterado os comentários porque não recordo de ter de colocar o nome do meu blog etc como tive de fazer agora e não ficou o caminho pra lá..penso eu...
Beijokas

Vieira Calado disse...

Um texto sentido e bem escrito,
o que hoje aqui nos traz.

Beijinho

Mariazita disse...

Duxinha querida
Passo para te desejar uma boa semana, com muita Paz, muito Amor e muita Luz (também do sol, que anda escondido...)

Beijinhos doces da tua
Manita

BC disse...

E assim vamos libertando o espiríto e vamos voando e aprendendo coisas maravilhosas, vivendo e partilhando.
Beijo